quarta-feira, 13 de julho de 2011

A liberdade para orar...

Um dos deveres cristãos que Paulo recomenda seria: “Orai sem cessar”. Mas, o que seria a oração? A oração é o canal, o diálogo que se estabelece entre você e o Criador. Mas, pregador qualquer pode orar? Sim, desde que saiba a quem está dirigindo a sua petição.

Quando a pessoa ora, dá entender a outro que desconhece que a pessoa está falando sozinho. A oração é uma necessidade diária tanto quanto se necessita o faminto de alimento. Por meio da oração o homem estabelece uma ligação com o SENHOR.

O homem vive o momento, e esse momento se torna obscuro e misterioso para cada um. O Senhor Jesus deixou um modelo de oração. Aquilo não era para ser repetido, mas, as necessidades de cada um deveriam nortear o estabelecido. Porque as carências de um necessitado divergem de outros.

A oração exige do crente a Fé de que Ele é Poderoso para realizar “tudo aquilo que pedimos ou pensamos”. Se pensarmos tudo que é bom, tudo de bom se realizará. Do contrário, o pensamento instalado para práticas do mal, não será ouvida. Ele não atende aos pedidos dos que intencionam as práticas que transgridem aos seus próprios mandamentos ou leis decretadas justas para o Homem.

Enfim, diletos (as) a oração deve ser criativa, própria, pessoal, onde você os seus pensamentos e o coração e peça ao Pai Celestial, e ouvirá e atenderá os seus pedidos. Há uma letra musical que diz assim: “Bem de manhã, embora o céu sereno pareça um dia calmo anunciar, vigia e ora...”. Dessa forma a oração é uma forma de estar ligado a Ele para que os laços se fortaleçam. E assim sereis chamados amigo de DEUS por meio do diálogo estabelecido entre você e Ele.

Deus Abençoe Galerinha...

Imagem: Get Floramar / Texto: Élcio Cunha

Nenhum comentário:

Postar um comentário